--:--
--:--
  • cover
    Tribo Bless

Mais de 60 mil crianças foram registradas sem o nome do pai no Brasil em 2023

No Brasil, milhares de crianças são registradas sem o nome do pai e crescem sem a figura paterna

Apenas entre janeiro e abril deste ano, 60.295 bebês receberam apenas o nome da mãe ao terem o nascimento registrado, segundo dados divulgados pela Arpen-Brasil (Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais).

O número de crianças com pai ausente representa 6,8% do total de 874.166 nascimentos registrados nos cartórios no início de 2023.

A região com mais crianças sem pai é o sudeste, com 20.369 recém-nascidos registrados por mães solo. O estado de São Paulo tem a metade dos casos; 10.241 bebês sem o nome paterno.

Abandono parental

Lavínia, de 1 ano, está nesta estatística. A menina é filha da agente de viagens Leda Maria Lemes, de 32 anos, que já tinha um filho, Miguel, de 8 anos.

“O pai aceitou o filho, porém, na última gestação, não queria que eu tivesse [o bebê]. Ele me disse para tirar ou teria que seguir com a gravidez sozinha. Desde então me separei, e cada um vive a sua vida. Minha filha ficou sem o registro dele na certidão de nascimento”, relatou Leda, em entrevista ao R7.

A mãe, que também cresceu sem pai, confessou que a falta da paternidade provocou marcas profundas em sua vida.

“A ausência do meu pai me afetou de muitas maneiras, como em relação à carência. Eu sentia muita falta da presença paterna, porém não podia demonstrar isso. Na minha família, também, não tinha ninguém para me dar essa estrutura”, lamentou ela.

A defensora pública do Rio de Janeiro Fátima Saraiva explicou que toda criança tem o direito de ter o nome do pai, mesmo em casos em que os pais não sejam casados.

“Não basta qualquer registro, é extremamente importante a filiação [que é a ligação dos filhos com os pais] na certidão de nascimento. Esse dado tem que ter completude. A criança gerada tem o direito de ter o registro de forma completa”, destacou ela, ao R7.

“A certidão de nascimento traz nossos dados biográficos. É a nossa história de vida, a nossa origem. Tem o nome, o sobrenome, a filiação, o local e a data de nascimento. É uma questão de cidadania e de pertencimento”.

O papel da Igreja

Para Eric Swithin, produtor do documentário cristão “The Fatherless Epidemic” (“A Epidemia da Falta de Paternidade”), a Igreja tem a solução para a crise de paternidade através da orientação bíblica.

“Enquanto todos tentam resolver nossos males sociais tratando os sintomas, a Igreja está sendo chamada para combater o problema em suas raízes. A solução para a cura da epidemia não é terceirizar para o governo, mas sim mobilizar a igreja e começar a guerrear contra o inimigo que está dizimando nossos lares”, afirmou Eric, em entrevista à rádio cristã internacional KCFY 88,1 FM.

E continuou: “Acabar com a epidemia dos órfãos exige que os homens da igreja se levantem e apresentem os meninos ao Pai Celestial perfeito!”.

Famílias destruídas refletem na sociedade

Segundo o produtor, a maioria dos problemas sociais estão relacionados à ruína da família.

“Mais de 80% dos indivíduos na prisão cresceram em lares sem pai. Adultos que cresceram em lares órfãos são 279% mais propensos a carregar ilegalmente uma arma e usar drogas. Meninas de lares sem pai são 900% mais vulneráveis ao abuso sexual”, observou, ao Christian Headlines.

Ele explicou que não é apenas uma “correlação, mas a causa de ser criado em um lar sem pai”.

“Assim, quando você tem uma casa quebrada, você tem uma comunidade quebrada. E quando você tem uma comunidade quebrada, você tem uma cultura quebrada”, ponderou.

E Eric concluiu: “Deus nos projetou para ser um modelo onde nossos lares são saudáveis, liderados por pais, e é assim que uma sociedade saudável é formada”.

Notícias Recentes

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Acompanhe as nossas Redes Sociais

Fale Conosco

(22) 99732-8460

Tribo Bless Fm © 2022 - Todos direitos reservados.