Zurich Airport Brasil atualiza situação das obras de construção da nova pista do Aeroporto de Macaé

Concessionária responsável pela administração do Aeroporto Joaquim de Azevedo Mancebo, em Macaé, a Zurich Airport Brasil atualizou, nessa semana, a situação das obras de construção da nova pista de pouso e decolagem do aeroporto.

“Atualmente, cerca de 300 profissionais e 100 máquinas atuam nas obras, em um regime de escala que totaliza quase 20 horas diárias de trabalho para garantir o cumprimento do cronograma. Já estão em andamento serviços como terraplenagem e drenagem do local”.

De acordo com a empresa do grupo suíço Zurich Airport, responsável também pela administração dos aeroportos de Vitória, no Espírito Santo (ES), e de Florianópolis, em Santa Catarina (SC), entre outros no país, a nova pista fará com que o terminal se torne o único no Brasil para operações offshore com duas pistas, além de permitir o tráfego de aeronaves de maior porte.

Com investimento total de 220 milhões de reais, da Zurich Airport Brasil prevê que a nova pista, que começou a ser construída no último mês de junho, seja entregue em abril de 2025, com 1.410 metros (m) de extensão, atendendo voos comerciais de passageiros e elevando a categoria do aeroporto.

“O aeroporto, que hoje é homologado para receber aeronaves de classe B, poderá operar com aeronaves de código C, como o Embraer 195. Atualmente, os voos comerciais estão suspensos temporariamente para viabilizar a construção, mas poderão ser retomados a partir de abril de 2024. A liberação em apenas 10 meses é o resultado de um estudo desenvolvido pela Zurich Airport Brasil para otimizar processos na obra, além da ampliação do investimento na construção”, explicou a empresa.

Ainda segundo a concessionária, mesmo com a construção da nova pista, a pista atual seguirá sendo utilizada para operações offshore, como voos de aeronaves de asa rotativa, como helicópteros, e que hoje são o principal movimento do aeroporto.

A Zurich Airport Brasil ressalta ainda que a construção da nova pista está sendo executada pelo Consórcio Bem Voar, formando pelas construtoras Barbosa Mello (CBM) e Engeform Engenharia, que estima a geração de cerca de 380 empregos diretos e indiretos durante as obras, contribuindo para o cenário de expansão econômica da cidade e da região.

“De acordo com dados da plataforma Retratos Regionais da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio), a partir dos números divulgados pelo CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e do Emprego, Macaé ocupa o 3º lugar no índice de cidades empregadoras do Estado do Rio nos primeiros meses de 2023”, lembra a empresa.

Segundo a plataforma da Firjan, que é atualizada mensalmente, mesmo com os números negativos em junho e a perda de 151 postos de trabalho, o que não acontecia em Macaé desde agosto de 2020, no início da pandemia do coronavírus, o saldo da cidade no ano ainda é positivo, com quase 5 mil novos postos de trabalho criados entre janeiro e junho desse ano.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!