Selo de Qualidade de Higiene ABC de Macaé é apresentado a entidades comerciais da cidade

Em reunião realizada nessa semana, representantes da Prefeitura de Macaé, através da Coordenadoria Especial de Vigilância Sanitária, da Secretaria de Saúde, apresentaram a entidades ligadas ao comércio da cidade o Selo de Qualidade de Higiene ABC.

O encontro fez parte do processo de implementação do selo de categorização de qualidade de higiene A, B e C, que será entregue aos estabelecimentos ligados ao ramo alimentício que se interessarem no projeto, considerado pioneiro no país.

Segundo a prefeitura, objetivo da reunião com representantes do comércio local foi ampliar o conhecimento da ferramenta que busca aprimorar o controle sanitário e prevenção de doenças, classificando os locais de acordo com pontuação alcançada em vistorias da Vigilância Sanitária.

O município revelou que, nessa 1ª fase, o projeto conta com a adesão voluntária de 26 estabelecimentos como restaurantes, lanchonetes, padarias, entre outros, o que foi considerado como um êxito pelo coordenador especial da Vigilância Sanitária de Macaé, Ricardo Salgado (PDT).

“Inicialmente a nossa previsão era trabalharmos com 10 empresas, mas tivemos uma procura bem maior do que esperado e temos fila de empresários esperando para participar da 2ª fase”, detalhou Ricardo Salgado.

Ainda de acordo com o gestor da Vigilância Sanitária de Macaé, os primeiros selos já têm data para serem entregues, no próximo dia 5 de dezembro, contemplando os 26 estabelecimentos comerciais inscritos no projeto

“Serão concedidos 23 [selos] da categoria A e 3 na B”, adiantou Ricardo Salgado.

O projeto foi apresentado aos presidentes da Câmara de Dirigentes Lojistas de Macaé (CDL Macaé), Luis Henrique Fragoso, e da Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM), Frederico Barreto, além da analista do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Silvia Andreia, da secretária executiva do Macaé Convention & Visitors Bureau, Polianna Porto.

“Eu acho o projeto fantástico e tenho certeza de que vai ter o apoio das entidades empresariais, uma vez que esse caminho de orientar e informar evita não só transtornos aos consumidores, como ao próprio empresário já que evita prejuízos em com uma eventual interdição de seu estabelecimento”, avaliou Luis Henrique Fragoso.

Segundo a prefeitura revelou no encontro com comerciantes, o Selo ABC foi inspirado em boas práticas de outros países, visando estimular a cultura do cuidado preventivo e da observação aos critérios de riscos sanitários.

“Quanto melhor o gerenciamento, menor é a probabilidade de um evento adverso. A ideia é reconhecer e valorizar os empreendimentos que investem em procedimentos que contribuam para a qualidade dos alimentos e a saúde do consumidor”, explicou o coordenador técnico e jurídico da Vigilância Sanitária de Macaé, Hélio Porto.

Representando a prefeitura, participaram do encontro ainda a chefe de gabinete da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Mariana Previtali, e a advogada da Coordenadoria Especial de Vigilância Sanitária, Deusiene Porto.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!